quinta-feira, 25 de abril de 2013

Fernanda Angius

Fernanda Angius nasceu em Lisboa a 16 de Outubro de 1936 e é licenciada em Filologia Românica pela Faculdade de Letras de Lisboa. Autora de uma tese inconclusa de doutoramento sobre um manuscrito moçambicano do século XIX, orientada pela Professora Doutora Ria Lemaire da Universidade de Poitiers.
Foi Assistente de Programas Literários na Emissora Nacional de 1965 até 1975 onde teve a responsabilidade de autoria e produção de dois programas semanais: "Portugal na História e na Lenda" e "Histórias, Curiosidades e Melodias", destinados ao Ultramar e aos ouvintes fora do país e transmitidos em Ondas Curtas.
Em 1975 decide deixar a Rádio e optar pelo ensino; profissionaliza-se com estágio no Ensino Secundário em 1976, no então Liceu das Caldas da Rainha.Ensina 3 anos em liceus de Lisboa.
Em 1979 aceita o convite do então Instituto de Alta Cultura para o Leitorado de Florença e, ali, lecciona Língua e Cultura Portuguesa até 1984.
Em 1986 o então ICALP, propoe-lhe concretizar a cooperação cultural de Portugal com a república do Zimbabwe. Aí lecciona 3 anos como leitora do ICALP e em 1988 é contratada pela Universidade local, assumindo a direcção do Departamento de Português na Universidade de Harare.
Desde 1984 inicia contactos com a Literatura moçambicana, angolana e caboverdiana que devia leccionar. Contacta Moçambique através de Mia Couto de quem se torna amiga, admiradora e estudiosa da obra (que desde logo considera de futuro brilhante). Ainda como leitora na Universidade de Harare inicia os contactos com os actuais novos escritores moçambicanos. Declina o convite paraq continuar como professora contratada em Harare e regressa a Portugal para aceitar o cargo de leitora na Universidade Eduardo Mondlane de Maputo. Porém o que lhe reserva Maputo é o lugar de 1ªprofessora de Estudos Literários no Instituto Superior Pedagógico, a cujo quadro de primeiros docentes se junta com a Leitora Madalena Arroja. Até 1996 permanece na actual Universidade Pedagógica que ajudou a constituir e em 1997 passa a fazer parte do grupo de especialistas de materiais didácticos no INDE (Instituto para o Desenvolvimento da Educação) onde colaborou na elaboração de livros e de materiasis para o ensino bilingue e inicial do português a crianças que o não tinham como língua materna.
Em 1998 deixa Moçambique a contra gosto e por força da lei do Instituto Camões e insuficientes fundos da Coioperação Portuguesa para aceder ao pedido feito pelo Ministério da Educação moçambicano. Regressa a Portugal e vence o concurso para a vaga de Paris onde termina a sua carreira de professora de Português no estrangeiro.
Reformada a partir de Setembro de 2003, dedica-se então exclusivamente ao estudo dos autores que mais a interessam: os novos enunciantes da História da Literatura moçambicana e de algumas outras literaturas africanas de língua portuguesa.
Durante a sua permanência em África reali8zou vários Cursos de Português e de Literatura Portuguesa, Brasileira e Moçambicana quer em Africa como no Brasil.
Actualmente ensina Literaturas Africanistas escritas em Português na USAVIS (Universidade Sénior de Viseu), cidade para onde se transferiu e onde continua a trabalhar os autores que escrevem a nova literatura moçambicana.

Sem comentários: